Pato Bragado investe e incentiva jovens à formação em cursos técnicos e a nível superior

Uma iniciativa de poucos em benefício do futuro de muitos. Assim tem sido em Pato Bragado com o Programa de Incentivo à Formação Acadêmica, regido pela Lei nº 1470/2015. Por meio dele é ofertada uma bolsa-auxílio mensal aos estudantes para despesas com transporte, alimentação e mensalidade escolar, desde o ensino médio normal (magistério) até os cursos superiores.  

Conforme dados da Secretaria Municipal de Educação e Cultura, em 2018 foram 74 alunos inscritos; já em 2019 o número de estudantes foi de 66. Em 2020 por conta da pandemia foram 46 e em 2021 houve 38 inscrições. Entre 2018 e 2021, os valores investidos pelo governo municipal no programa somam algo próximo de R$ 1,9 milhão.  “Estamos repassando de forma mensal e a fundo perdido ao ensino superior, o montante de R$ 249,60; enquanto que para o magistério o valor chega a R$ 131,04, com correção anual pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). É um grande incentivo aos nossos jovens e também às demais pessoas que estão recuperando o tempo que ficaram ausentes dos educandários e buscando uma formação”, afirma o prefeito Leomar Rohden, o Mano. 

O programa atende mais de 170 estudantes da cidade que estudam na região, no estado e no país. São cerca de 15 pessoas formadas todos os anos.

A jovem Bruna da Cruz Petry concluiu no fim do ano passado, o curso de tecnóloga em Estética e Cosmética, na cidade de Toledo. A colação de grau ocorreu em fevereiro deste ano. Ela menciona que contou com o incentivo da bolsa-auxílio durante os três anos de realização do curso e que o valor disponibilizado pelo município foi mais um estímulo para iniciar os estudos na área que almejava muito.

Realizada na sua profissão, Bruna já é proprietária da Estética Bruna Petry Beauty. “Meu prazer é mudar a autoestima das pessoas e ver isso estampado no rosto delas ao se olharem no espelho. Minha gratidão à administração municipal por ter me auxiliado em tudo isso”, destaca.

 

CURSOS TÉCNICOS

Quem está em busca de um curso a nível técnico profissionalizante também não fica atrás. Outra forte ferramenta criada pelo poder público de incentivo, instituída pela Lei nº 1162/2010 é destinada aos que iniciam uma formação no Senai/Sesc/Senac ou equivalentes, autorizados pelo Ministério da Educação (MEC).

São R$ 114,67, de subsídios mensais, corrigidos anualmente pelo INPC. O ingresso no benefício é feito pela Secretaria de Indústria, Comércio, Turismo e Desenvolvimento Econômico. Desde fevereiro de 2022 já são 15 os alunos que estão recebendo a ajuda de custos aos cursos, como o de técnico de enfermagem, técnico em Segurança no Trabalho, sistema S (Sesi, Senai, Senac) ou que frequentam algum colégio agrícola.

Quando Claudireni Staadlober iniciou o curso técnico em Segurança no Trabalho, na cidade de Marechal Cândido Rondon, em 2017 não tinha a mínima noção de como isso a ajudaria profissionalmente e pessoalmente.  Formada em 2018 já teve de início a oportunidade de aplicar os conhecimentos do curso na Associação Bragadense de Catadores (ABC) e atualmente exerce a função na Lar Cooperativa do município rondonense.

Ela que já é graduada em Gestão Ambiental afirma que foi o curso técnico que proporcionou a oportunidade de crescimento profissional. “Utilizei os recursos do município nos últimos seis meses de estudos. Foram de grande valia, um incentivo a não desistir, pois na época me separei e não tinha dinheiro pra continuar indo ao curso. Então consegui concluir e graças a esse incentivo hoje trabalho na área”, comemora.