Merendeiras são orientadas ao atendimento às necessidades alimentares especiais

É crescente o número de crianças, jovens e até mesmo adultos que apresentam restrições a alguns alimentos. Para isso é necessária uma dieta alimentar específica a cada caso. Em busca dessa eficiência é que a Secretaria de Educação e Cultura promoveu na tarde de ontem (25), um treinamento às merendeiras do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Gotinha de Mel e Escola Municipal Marechal Deodoro de Pato Bragado.
O treinamento foi aplicado pela nutricionista Janice Roos Hachmann que abordou a alimentação especial ao atendimento a essas necessidades, apontando ainda as causas e consequências dessas doenças. Ela explica que no município há alunos com alergia a proteína do leite de vaca, intolerância à lactose, doença celíaca (alergia ao glúten) e diabetes. “Para cada caso, as merendeiras devem realizar um cardápio individual e diferenciado, procurando manter as mesmas propriedades nutricionais dos demais”, menciona a nutricionista.
A profissional aponta o leite de vaca, ovos, nozes, soja, trigo, amendoim, peixes e mariscos como responsáveis por 90% dos casos de alergias alimentares. “Portanto, a nutricionista é responsável pelo planejamento do cardápio, aquisição e distribuição dos alimentos para as necessidades alimentares especiais, além da orientação à direção, professores e pais orientação, enquanto que a unidade escolar deve acompanhar a rotina do aluno e garantir o consumo dos alimentos adequados, conforme o cardápio e orientações”, afirma.
A atenção nutricional individualizada é preconizada pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) do Governo Federal.